Sugestões de Projetos e atividades para Educação Infantil.

Textos e artigos relacionados à Educação.

Trabalhos em artesanato como: Tricô pintura em tecido e tela.


...

...

quarta-feira, 28 de abril de 2010

É preciso lutar contra a correnteza para se chegar à margem

Habitue-se a, serenamente, esperar, aprender, trabalhar e descansar com dignidade.

Não é, de maneira nenhuma, o bem-estar, a vida tranqüila, a ociosidade, mas as provações e as dificuldades que disciplinam o homem, trazendo à sua consciência a luz, a tranqüilidade, o equilíbrio.

A vida é sempre força da adversidade que representa a permanente construção do caráter.

Na Terra, há plantas que precisam que suas folhas sejam maceradas para exalarem o seu mais reconfortante perfume — assim também há homens que necessitam passar por provações para alcançarem o mais profundo do seu próprio ser, fazendo o autoconhecimento. As provações descobrem e lapidam as virtudes humanas, trazendo ao trato diário as experiências do longo aprendizado reencarnatório.
Alguns homens apresentam comportamentos dúbios, inseguros, por sua indolência. Porém, quando se vêem diante de problemas, de situações difíceis, sensibilizam-se pela dor, pela angústia, assumindo responsabilidades, provando a si mesmos e aos outros a força que possuem e que ninguém dela suspeitava; e onde havia debilidade, angústia, medo e desconfiança de si mesmo, encontra-se predisposição ao trabalho, valor positivo e muita abnegação.

A dor, na escolaridade da Terra, é, sem dúvida alguma, a instituição da disciplina, do autoconhecimento, do aprendizado, da construção do caráter, da iluminação. O homem espiritualizado entende que se não fossem algumas provações, a forja da dor, a melhor parte do seu ser estaria em sono profundo.

A forte correnteza é sempre treinamento, oportunidade de crescimento, portanto ascensão à espiritualidade, à felicidade, àquele que luta para alcançar a margem.
Deus é a plenitude do amor. O homem espiritualizado vive a força da luz, da esperança, é feliz.

Amor, coragem, fé.
Mensagem extraído do livro "Na luta do cotidiano, A força do amor"
pelo espírito Leocádio José Correia
Psicografado pelo médium Maury Rodrigues da Cruz

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Atenção professores! CNTE comemora novas vitórias durante sua XI Semana Nacional de Educação

A semana anterior foi marcada por dois episódios promissores para os trabalhadores da educação básica, reforçando, assim, o protagonismo da luta sindical coordenada pela CNTE e seus sindicatos filiados em todo país.
No dia 14, a CNTE firmou acordo com o Ministério da Educação sobre a instituição de cursos superiores em nível tecnológico voltados à formação profissional dos funcionários de escola. A proposta visa proporcionar a continuidade da formação dessa parcela da categoria, que, atualmente, dispõe do Programa Profuncionário, em nível médio, ofertado em caráter articulado entre o MEC e os sistemas estaduais e municipais de ensino. A inscrição oficial dos cursos em Gestão de Processos Escolares no catálogo da Secretaria de Educação Tecnológica do Ministério da Educação (SETEC) ocorrerá no próximo dia 29, em sessão solene e concomitante à reunião do Conselho Político do Profuncionário, ao qual a CNTE tem assento.

A partir deste momento qualquer instituição credenciada pelos sistemas federal, estaduais ou municipais de ensino poderá ofertar os cursos tecnológicos, a exemplo do que ocorre com a formação de nível médio. Ao tecnólogo escolar cumprirá “planejar, coordenar e operacionalizar atividades organizacionais e gerenciais no âmbito dos espaços educativos, visando a otimização da capacidade escolar no alcance de seus objetivos, metas e resultados educacionais.” Para tanto, as ênfases dos cursos se darão em sete áreas, inicialmente: gestão escolar, produção de multimeios tecnológicos, gestão da alimentação, gestão da infraestrutura e condições de ensino, gestão dos processos e registros acadêmicos, gestão da conformidade legal da escola e mediação de leitura em biblioteca. A carga horária estimada é de 2.400 horas.

Em outra frente de atuação, a CNTE reuniu-se com o ministro da Educação, Fernando Haddad, no dia 15, para debater a implantação da mesa de negociação sobre o Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério. A mesma deverá envolver os Executivos da União, dos Estados e dos Municípios, o Parlamento e os Trabalhadores. Também foi pauta da reunião com o Ministro o PLC 321/09, que visa alterar o critério de reajuste do Piso a partir de 2011. Sobre este ponto, conforme anunciado anteriormente, o MEC concordou em alterar a matéria aprovada na Câmara dos Deputados, que prevê apenas o INPC como fator de reajuste. Dessa forma, os trabalhadores contarão, anualmente, com a reposição inflacionária e mais um percentual de ganho real, a ser previsto à luz do crescimento das receitas anuais do Fundeb.

Também sobre o PSPN, apesar das divergências entre o valor de 2010 (R$ 1.024,67 para o MEC e R$ 1.312,85 para a CNTE), houve consenso entre CNTE e MEC de que o próximo Plano Nacional de Educação deverá contemplar metas para a elevação substancial do valor do Piso. Para tanto, a inclusão de novos tributos à vinculação constitucional para a educação, inclusive oriundos do pré-sal, é tema predominante no debate do PNE 2011/2020.

CNTE, mais uma vez, expôs ao ministro Haddad sua preocupação com o valor do Piso sugerido pelo MEC para 2010, o qual, do nosso ponto de vista, advém de interpretação equivocada do art. 5º da Lei 11.738. O ministro se comprometeu em destacar o tema como primeiro ponto de pauta da mesa de negociação com governadores e prefeitos, a fim de tentar conciliar uma proposta que envolva o aumento atual do PSPN e sua perspectiva de crescimento robusto tanto através do índice de reajuste, a ser tratado no PLC 321/09, quanto pelo reforço das metas a serem previstas no PNE.
Na próxima quinta-feira (22), a CNTE se reunirá com o senador Cristovam Buarque, relator do PLC 321/09, para tratar dos encaminhamentos finais sobre o critério de reajuste do Piso. Na semana seguinte, a Confederação deve voltar a se reunir com o MEC para dar prosseguimento às questões pendentes da mesa de negociação do PSPN.

De 19 a 25 de abril acontece a XI Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública. No sítio eletrônico da CNTE estão disponíveis diversos materiais de apoio às atividades promovidas pelas entidades filiadas. Destaque para a mensagem pública sobre o PSPN e a Carreira, e também para o cartão eletrônico aos ministros do Supremo Tribunal Federal cobrando urgência na votação da ADI 4.167. Contamos com o apoio de todos.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Revista Maravilhosa!http://www.sbee.com.br/

Educação Infantil!!!Como é grande nossa responsabilidade!

O artigo do irmão Hugo Rebello, nos faz pensarmos o quanto é importante a Educação Infantil e como os professores devem ter orgulhoso de sua missão de Educador.



. Bem-aventurados os que têm puro o coração, porquanto verão a Deus. (S.
Mateus, cap. V, v. 8.)
2. Apresentaram-lhe então algumas crianças, a fim de que ele as tocasse, e, como
seus discípulos afastassem com palavras ásperas os que lhas apresentavam, Jesus, vendo
isso, zangou-se e lhes disse: “Deixai que venham a mim as criancinhas e não as impeçais,
porquanto o reino dos céus é para os que se lhes assemelham. – Digo-vos, em verdade,
que aquele que não receber o reino de Deus como uma criança, nele não entrará.” – E,
depois de as abraçar, abençoou-as, impondo-lhes as mãos. (S. MARCOS, cap. X, vv. 13
a 16.)
Do livro – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec
Todos nós buscamos o aperfeiçoamento espiritual.
Diante da bondade Divina, nos é dado a possibilidade de várias reencarnações como oportunidade de aprendizado.
A pureza do coração infantil reflete a humildade e a simplicidade. Por isso Jesus utiliza-se da criança como símbolo da pureza, mostrando assim que o reino dos céus aguarda os virtuosos, puros de coração, ricos de humildade, de caridade, de amor ao próximo.
Olhamos hoje as crianças através de uma nova perspectiva, não mais como seres ingênuos e pobres de conhecimento. Ao contrário, como seres com uma grande bagagem espiritual em uma nova roupagem terrena, tendo a oportunidade da renovação espiritual pelo adormecimento das paixões inferiores, enquanto crianças. Nesse período elas revelam as suas tendências, mas com muito amor, dedicação e perseverança, podemos auxiliá-las na sua mudança interior através da educação moral.
Esse é o momento de introduzirmos a doutrina espírita, a educação espiritual como proposta da grande renovação das nossas atitudes, educando assim as crianças no verdadeiro caminho que é a evolução espiritual, com isso ajudaremos a própria sociedade na formação de adultos melhores. Saberão administrar os seus conflitos, buscarão o verdadeiro objetivo da vida que são as alegrias futuras fruto do trabalho árduo no caminho do bem, na prática da caridade, do amor ao próximo, da benevolência, do perdão incondicional.
Vale lembrar que Jesus não disse que o reino dos céus pertence às criancinhas, mas sim “Deixai que venham a mim as criancinhas e não as impeçais, porquanto o reino dos céus é para os que se lhes assemelham. – Digo-vos, em verdade, que aquele que não receber o reino de Deus como uma criança, nele não entrará.”
Aquele que se assemelhar a pureza do coração de uma criança, entrará no reino dos céus, pois na verdade terá substituído o orgulho e o egoísmo, pai dos sentimentos inferiores, pelas virtudes enobrecedoras.
A responsabilidade dos pais é grande, corrigir as más tendências das crianças e dos jovens, através do exemplo de uma conduta de vida reta na moral cristã, denota empenho, perseverança e amor.
Conduto nem todos pensam assim, me surpreende os pais abandonarem prematuramente a responsabilidade assumida, deixando os sentimentos nobres da renuncia, da dedicação, da caridade e do amor em segundo plano vencendo assim os gozos terrenos envolvidos pela luxuria da vida moderna.
Vivemos tão somente para a vida material que esquecemos o mais importante. Cuidar dos nossos Jovens, cuidando assim do nosso futuro !!! Eles serão o reflexo dos nossos atos, dos ensinamentos passados, da conduta de vida que nós próprios tivermos.
Não deixemos para amanhã a obrigação de hoje, o empenho firme na educação correta é um trabalho incessante que Deus confiou aos pais como co-criadores. Fugir desse trabalho acarretará grandes dores e sofrimentos futuros.
Vamos acompanhar os nossos filhos na educação espiritual que lhes dará grande conhecimento e estrutura moral para as adversidades futuras. Aquele que se prepara, desde tenra idade, para o aprendizado da vida, tem maiores chances de sucesso na vida espiritual, almejando assim glórias verdadeiras na vida futura.

Sobre o Autor

Hugo Rebello é Educador Infantil e Médium. Atualmente trabalha como Coordenador da Mocidade Espírita e Médium no Núcleo Assistencial Espírita Paz e Amor.

sábado, 17 de abril de 2010

Essa frase é para refletirmos com carinho!!!!!!!!!!!

Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta. “Chico Xavier”

Um final de semana de muito amor paz e luz para todos.Com carinho,Vera Palma.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A música apresenta uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para as crianças, tanto o som quanto o ritmo são elementos básicos da música, empregados especificamente na plenitude da expressão musical, podem provocar nelas reações de cordialidade, entusiasmo, prender sua atenção, estimular sua vontade auxiliando a conciliar a ação educativa. O som é a matéria prima da música, e os elementos básicos são ritmo, melodia.

Ouvir música, aprender uma canção, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos, são atividades que despertam, estimulam e desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de propiciar a vivência de elementos estruturais dessa linguagem.
A criança através da brincadeira, relaciona-se com o mundo que a cada dia descobre e é dessa forma que faz música: brincando. Receptiva e curiosa, ela pesquisa materiais sonoros, "descobre instrumentos", inventa melodias e ouve com prazer a música de todos os povos.
De forma ativa e contínua, a aprendizagem musical integra prática, reflexão e conscientização, encaminhando a experiência para níveis cada vez mais elaborados.

O objetivo central da educação musical é a educação pela música, que engloba vários aspectos do desenvolvimento humano. Entre estes, citamos:

- Socialização
- Alfabetização
- Inteligência
- Capacidade inventiva
- Expressividade
- Coordenação motora e tato fino
- Percepção sonora
- Percepção espacial
- Raciocínio lógico e matemático
- Estética

Desenvolvimento da manifestação artística e expressiva da criança

A educação musical pretende desenvolver na criança uma atitude positiva para este tipo de manifestação artística, capacitando-a para expressar seus sentimentos de beleza e captar outros sentimentos, inerentes a toda criação artística.
Assim como se utiliza a palavra ou gestos para manifestar suas idéias, terá como meio de expressão mais uma forte ferramenta na construção de seus argumentos - a música. As crianças tendem a pensar na música como sendo sobre "coisas", isto é, como contando histórias, expressando idéias, vivendo situações.

Desenvolvimento do sentido estético e ético

Durante o processo de criação e depuração dos elementos musicais, ou mesmo no processo de expressão, busca-se aí o equilíbrio e a crítica sobre o conceito do belo, do pleno, do satisfatório. As campanhas de mídia pelas quais passamos nestes dias, trabalham muito fortemente sobre nosso poder de julgamento e decisão. Muitas vezes,
esquecemos se algo é realmente bom, ou bonito ou dispensável. Simplesmente aceitamos. A criança tem sido um grande alvo da mídia e também sofre esta influência.
Através da música, com seus valores estéticos intrínsecos, e de atividades voltadas especialmente para o desenvolvimento do valor estético, pretende-se resgatar o sentido do belo e do justo em relação às coisas que nos rodeiam e também às nossas atitudes. O poder de escolha intermédia à busca da estética, e esta exteriorização são a base da ética.

Desenvolvimento da consciência social e coletiva/ética

Quando a criança canta, ou está envolvida com papéis de interpretação sonora em coletividade, sente-se integrada em um grupo e adquire a consciência de que seus componentes são igualmente importantes. Compreende a necessidade de cooperação frente aos outros, pois da conjunção de esforços dependerá o alcance do objetivo comum.
Quando estuda música em conjunto, torna-se mais comunicativa e convive o tempo inteiro com regras de socialização. Existe a possibilidade de respeitar o tempo e a vontade do outro, criticar de forma construtiva, ter disciplina, ouvir e interagir com o grupo.

Desenvolvimento da aptidão inventiva e criadora

A educação através das artes proporciona à criança a descoberta das linguagens sensitivas e do seu próprio potencial criativo, tornando-a mais capaz de criar, inventar e reinventar o mundo que a circunda.
E criatividade é essencial em todas as situações. Uma criança criativa raciocina melhor e inventa meios de resolver suas próprias dificuldades.
A criança se envolve integralmente com a música e a modifica constantemente, exercitando sua criatividade, e transformando-a pouco a pouco numa resposta estruturada de acordo com seus objetivos.
A criatividade é ilimitada no ser humano. Atualmente, com o crescimento tecnológico e a busca de soluções cada vez mais aprimoradas para os problemas vividos pelo homem atual, busca-se incansavelmente o desenvolvimento da imaginação humana, semente de toda a evolução.






Busca do equilíbrio emocional

Para os gregos, a educação musical aprimorava o caráter e tornava úteis os homens em palavras e ações, e os estudos de música começavam na infância e se estendia por toda a vida.
Também o jogo musical, que não se liga a interesses materiais ou competitivos, mas absorve a criança, estabelece limites próprios de tempo e espaço, cria a ordem e equilibra ritmo com harmonia.

Reconhecimento dos valores afetivos

Para Piaget, o afeto é o principal impulso motivador dos processos de desenvolvimento mental da criança e, para Celso Antunes, a afetividade pode ser construída através de estímulos adequados e medidos. Através da música e de seu processo de criação, torna-se aqui a criança o criador, o gerador, formando um eterno vínculo com sua produção ou autoria. "Fui eu quem fiz!" eles dizem com satisfação. Este é fator positivo para o desenvolvimento de sua auto-estima e identificação de suas motivações.

A Educação Musical é hoje considerada um caminho a mais que se abre para o desenvolvimento integral da personalidade humana.


Este é um tema que muito me encanta foi sobre o mesmo que escrevi meu trabalho de conclusão de curso,na minha graduação de Pedagoga.

sábado, 10 de abril de 2010

O filme 'Chico Xavier' quebra recorde em sua estreia.

O amor que a população brasileira tem por esse homem ímpar, que só fez o bem durante sua vida, e o fascínio pelos temas sobre naturais são fatores que contribuem para o sucesso que esta sendo o filme.Eu assisti é MARAVILHOSO!!!!!!!!!!!!

Um abraço fraterno a todos,muita Luz e Paz com carinho da irmã de caminhada Vera Freire Palma.

Assista o trailer oficial do filme Nosso lar

Acabou de ser lançado o trailer oficial do filme Nosso lar, que tem estréia previsto para Setembro, ABSOLUTAMENTE FANTÁSTICO.

É o Espiritismo redivivo que tanto estudamos em nossas casas espíritas, nas nossas mocidades e nas obras literárias, que agora chega pra marcar presença fortemente no Cinema, é claro que tudo isso já estava previsto na espiritualidade, quem tem olhos de ver que veja, ouvidos de ouvir que ouça!!!!!
http://www.nossolarofilme.com.br/

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Minha criação.Saudades!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Saudades das minhas aulas na Educação Infantil,das crianças daquele mundo mágico posso afirmar que a vivência com as crianças foram sempre muito gratificante mais aprendi do que ensinei pois com eles só se aprende são verdadeiros e de uma capacidade muito grande de dar e receber amor.
Foi esta saudade que levou-me a criar esta Tela.
Espero que gostem?????????

terça-feira, 6 de abril de 2010

Educação

"A mídia, de modo geral, incluída a Folha, comunga com empresários e políticos o discurso, mais ou menos unânime, de que a educação, na dita "sociedade do conhecimento", em que nos encontramos atualmente, é a coisa mais importante, devendo ser, portanto, a prioridade número 1 dos governos e da sociedade como um todo.

No entanto, assim como os governos relutam em traduzir a referida prioridade em mais investimentos, a mídia também se nega a traduzi-la no noticiário referente às iniciativas educacionais. A semana que passou foi palco de um dos principais acontecimentos da educação brasileira: a Conferência Nacional de Educação (Conae), aberta em Brasília na noite de 28 de março, e encerrada no dia 1º de abril.

Essa conferência tratou de dois temas fundamentais: a organização do Sistema Nacional de Educação e a elaboração do Plano Nacional de Educação, que deverá substituir o atual. Dos resultados da Conae deverão sair projetos de lei a serem encaminhados ao Congresso Nacional para discussão e aprovação.

Apesar da grande importância desse acontecimento, a mídia falada e escrita nada publicou a respeito. Acompanhei como assinante a Folha para ver o que seria publicado sobre o assunto. A Conae se encerrou e nada encontrei. Como explicar essa omissão da mídia diante de algo que ela mesma proclama como de transcendental importância? Seria tal proclamação apenas uma máscara a disfarçar o desinteresse de nossas elites dominantes e dirigentes no que se refere a uma educação que efetivamente venha a propiciar a toda a população brasileira uma visão clara e consistente da situação em que vive?"

DERMEVAL SAVIANI, professor emérito da Unicamp (Campinas, SP)

Formação, carreira e salário andam juntos

É preciso uniformizar o conceito de profissional da educação na legislação brasileira, valorizando professores, funcionários e pedagogos. Essa é uma as condições para garantir avanços na educação do país, como observou a Secretária de Finanças da CNTE e vice-presidente da Internacional da Educação na América Latina, Juçara Dutra Vieira, integrante de um dos colóquios realizado nesta terça-feira (30) na Conae 2010.

“A formação, a carreira, o salário, e as condições de trabalho devem andar juntos no processo de valorização do profissional”, afirmou. Juçara também defendeu que a formação inicial dos educadores seja feita, preferencialmente, de forma presencial. “Estarei convencida de que a Educação a Distância é eficiente quando tivermos médicos, advogados e engenheiros formados pelo método EAD”.

Com relação aos métodos de avaliação dos profissionais, ela relatou um caso bem sucedido no Chile, implementado com o aval do sindicato da categoria. “No Brasil, muitos têm medo de serem avaliados, mas é porque só conhecem a avaliação punitiva. Acho que o profissional que atua na mesma área tem melhores condições de avaliar. No Chile é assim: durante três meses, um educador é avaliado por outros dois profissionais da mesma área”, contou.

Juçara salientou que as discussões na Conae para a construção do Sistema Nacional de Educação suscitarão mais perguntas do que respostas. “Formação e valorização são políticas que caminham lado a lado na construção de uma educação pública de qualidade para todos”, concluiu

domingo, 4 de abril de 2010

Páscoa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

“Páscoa é dizer sim ao amor e a vida; é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor, é vivenciar a solidariedade”.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Presidente Lula e ministro da Educação defendem Piso e Carreira na Conae.

O presidente Lula anunciou que vai pessoalmente conversar com os governadores que não pagam o Piso Salarial Nacional dos profissionais de educação. Foi durante a Conferência Nacional de Educação (Conae). Numa defesa contundente de reivindicações históricas da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Lula afirmou que “o casamento entre educação de qualidade e valorização do professor têm que ser indissolúvel”.
O presidente lamentou que alguns estados ainda não paguem o Piso e se dispôs a falar com os governadores, atendendo a uma sugestão feita pelo ministro da educação, Fernando Haddad, também durante a Conae.
“Terminou o tempo de tratar as professoras como normalistas ou professorinhas. Esse sonho acabou. Os professores tiveram a profissão sucateada e mal tratada. A remuneração faz parte da qualidade da educação e eu não me conformo que um Piso de R$ 1,020,00 é bom para um educador que toma conta de nossos filhos”, lamentou o presidente.
O ministro Haddad sugeriu ao presidente que adote em relação ao Piso a mesma postura que teve com o salário mínimo e “reúna governadores, prefeitos e entidades como a CNTE para fixar metas para recompor a remuneração dos educadores”, disse Haddad.
Para o presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão, o fato de o presidente Lula ter se comprometido em conversar com os governadores demonstra a importância que o Piso tem. “O presidente reconheceu que os professores ganham mal. Ele se dispôs a construir um processo de debate e esse é um peso muito importante e eu espero que a gente consiga avançar na implantação efetiva do Piso”, afirmou.
Leão destacou que ainda há uma divergência entre os valores que o governo reconhece para o Piso (R$ 1,020,00) e o defendido pela CNTE (R$1,3 mil). “Mas isso faz parte do debate. Só não aceitamos desvincular o Piso do Fundeb. Mas a CNTE tem sempre disposição em discutir”, disse.
O ministro Haddad lamentou que a baixa remuneração dos professores esteja afastando os jovens da carreira de magistério. “Se quisermos que a educação seja prioridade número um no país, temos que contar com o trabalhador em educação”, concluiu Haddad.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Maior respeito pelos professores!!!!!!!!!!!!

Revoada pelo Piso
Educadores de todo o país, que estão em Brasília para participar da Conferencia Nacional de Educação, Conae, participam nesta quinta-feira (1/4) de ato em defesa do Piso Salarial Nacional dos professores e do Planto de carreira.
O ultimo dia da Conferencia Nacional de Educação, Conae, será marcada por um grande ato público promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, CNTE, em defesa do Piso Nacional para os professores e pela valorização do profissional da área.

A manifestação acontecerá ao meio-dia (12h) em frente ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães e contará com a presença de educadores de todo o país. Haverá revoada de balões para simbolizar que as reivindicações do educador brasileiro não podem ficar no ar. O Piso é uma luta que une professores de todo o país.
Durante a toda a conferência ficou claro que a valorização do profissional não pode dispensar o Plano de Carreira e um Piso nacional justo. Para a CNTE é preciso que essa re muneração seja de pelo menos de R$ 1.312,85. É preciso acabar com as distorções salariais entre educadores de todo o país.
“O piso esta aquém do que consideramos ideais, porém nem esse Piso está sendo pago pela imensa maioria de prefeitos e governadores brasileiros. Eles encontram muitos artifícios para dizer que pagam, mas não o fazem. É preciso que haja um imenso esforço do MEC e dos sindicatos para convencer prefeitos e governadores da importância desse Piso que é para construção de uma educação de qualidade. Os educadores brasileiros precisam de um bom salário”, defende Roberto Franklin de Leão, presidente da CNTE.
O Piso é um compromisso com a educação de qualidade e uma questão de respeito com mais de dois milhões de educadores. Por isso, no último dia de Conae, os educadores vão se unir em uma só voz pela melhoria na qualidade do ensino público por meio de profissionais remunerados de forma justa e com condições dignas de carreira.http://www.cnte.org.br/