Sugestões de Projetos e atividades para Educação Infantil.

Textos e artigos relacionados à Educação.

Trabalhos em artesanato como: Tricô pintura em tecido e tela.


...

...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Um final de semana de muita Paz e Luz a todos.

Todos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo o que nos deixa infelizes.O instante mágico é o momento em que um sim ou um não pode mudar toda a nosso existência.

Com meu carinho.Vera Palma

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

EDUCAÇÃO.

Amparar a infância é ajudar a sementeira.
Orientar a mocidade para o bem é auxiliar a floração.
A felicidade e a paz constituem serviço de aprimoramento.
Transposto o escuro portal da morte, reconhecemos que o professor detém no mundo o cetro do mais alto sacerdócio.
A escola é santuário da revelação divina. Dentro dela a mente humana retoma os tesouros do passado e entra em contato com
as grandes vozes da sabedoria para a sublime ascensão no amor.  E nos altares invisíveis de que se enriquece de luz, a alma que
ensina participa, com o Senhor, do júbilo celeste de criar.
O mestre é, por isso, o oleiro milagroso das imagens, descerrando novos horizontes à vida e abrindo preciosas oportunidades
de elevação.
Ó vós que buscastes na fonte do Espiritismo com Jesus um campo diferente de ação, vós, cujas antenas de fé viva conseguiram
captar a palavra da verdade vitoriosa, contemplai conosco a paisagem atormentada e escura da experiência humana!... em toda
parte, a aflição clama por segurança, a dor espera lenitivo, a sombra pede luz e a desarmonia roga paz.
É imprescindível nos devotemos todos à obra regenerativa do bem, recompondo destinos e sanando males aparentemente
irremediáveis.
Não nos fixemos, porém, na breve existência de uma dia!...
Procuremos a vida, a vida imperecível, que sobrepaira além do tempo e da morte.
Na criança jaz o recomeço.
No jovem surge a base.
Centralizar os nossos esforços no aperfeiçoamento, é dever de quantos abraçaram na Terra o idealismo de soerguimento e
santificação.
Não desejamos, com semelhantes enunciados, sentenciar a velhice ao abandono. a senectude dolorida ou desprezada é sempre
credora de compaixão. O lar dos deserdados é serviço que não podemos esquecer.
Reportamono-nos contudo, à madureza, da qual devemos aguardar os melhores testemunhos de aplicação do Evangelho
Salvador.
Curto é o período de possibilidades substanciais de trabalho para a criatura de passagem na carne. aproveitar esses dias
rápidos, na missão do bem, é impositivo da lei, que necessitamos respeitar se não desejamos os duros ensinamentos do reinício.
E se sabemos que a reencarnação, por divino instituto de aperfeiçoamento, nos abre incessantemente as portas abençoadas de
novas realizações, não será lícito olvidar que o serviço prestado à infância e à juventude é obra de caridade e proteção a nós
mesmos.
Ressurgiremos, amanhã, dos pais que hoje estamos formando.
Integrados no conhecimento de semelhante realidade, saibamos preparar o caminho iluminado e feliz para as crianças e para os
moços do presente.
ninguém está exonerado da cooperação de boa vontade em favor das gerações renascentes.
quem se consagra a Jesus Cristo aprende a legar um mundo melhor aos que lhe seguem os passos, através do concurso fraterno
ao próximo e da bondade para com a vida de que comungue nas lides habituais.
O Evangelho não é um livro simplesmente.é um templo de idéias infinitas- miraculosa escola das almas- estabelecendo a nova
Humanidade. Para isso, gera santos heróis, artistas e trabalhadores que, em se espalhando no mundo, nele determinam, de
século a século, fecundas renovações para a glória do amor universal.
De certo, estamos ainda longe do tipo biológico habilitado a refletir integralmente a inspiração do Cristo, mas, atendendo aos
imperativos da educação, reduziremos a longa e porfiada luta.
Reconduzir para a dignificarão, distribuir a cultura e o trabalho edificantes, animar a chama dos ideais redentores e proclamar os
méritos da fraternidade é a maneira mais elevada e mais fácil de apagar as trevas do passado e inflamar os horizontes do futuro.
Tocados pela claridade da sublimação, ao esplendor da verdade, pelo conhecimento da sobrevivência além da morte, uni aos
nossos os vossos braços e corações e construamos o Reino de Deus com as sementes divinas da escola, coroada de luz ecompreensão, segurança e solidariedade.
A técnica prosseguirá levantando cidades e monumentos, traçando estradas e comunicações, ajustando máquinas e inventos,
materializando a facilidade e o conforto para a civilização, mas só o amor garantirá no mundo a alegria de viver.
Façamos da oração a nossa escada de intercâmbio com o Céu, socorramos a enfermidade e aliviemos o desespero, repartamos
o pão e o remédio com os famintos e doentes, ergamos teto acolhedor aos que vagueiam sem rumo e consolemos a dor que nos
aparece de mil modos, cada dia, nas sendas do mundo, mas não nos esqueçamos de que Jesus, acima de tudo, é o nosso Divino
Mestre e de que o Cristianismo é serviço de educação.
João Bosco
Mensagem recebida por Francisco Cândido Xavier em Pedro Leopoldo, a 19 de julho de 1952

A palavra professor vem de "professar", que, além de lecionar, significa "declarar publicamente uma convicção ou um compromisso de conduta", como a de uma profissão. Não por acaso, as duas têm a mesma raiz. Nós, mestres, somos profissionais em vários sentidos: por ensinarmos e por nos comprometermos com condutas de trabalho - numa atividade que exige a contínua exposição de convicções. Essa condição também envolve responsabilidades múltiplas, com conhecimentos e procedimentos, especialmente por lidarmos com muitos jovens e crianças e por um tempo longo. 

Vejam meus amigos quanta responsabilidade tem um professor tanto neste plano como no plano Espiritual é uma missão que deveria- mos desenvolver com muito amor e orgulho por ser uma dentre outras muito importante.
Espero que está mensagem possa despertar em cada um o quanto é valiosa sua missão!

Com carinho Vera Palma 



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Em nome do Amor.

É assim o amor, portador de grandes milagres!...
É assim que devemos comportar em todos os dias das nossas vidas.
Essa é a nossa atitude, legatários que somos do amor de Deus nestes tumultuados dias da Humanidade.
Ouvistes a proposta do amor estes três dias.
Acompanhastes a trajetória do amor através das mensagens que vos foram dirigidas.
Sentistes o calor do amor em vossos corpos e a sua proposta em vossas emoções.
Ide, agora, e incendiai a Terra!...
O amor quando alcança as paisagens do coração arde e nenhum vendaval logra apagar a chama que crepita, transformando aquele que a carrega em facho de luz.
É noite na Terra, filhos da alma, e é indispensável que vos transformeis em estrelas para diminuir a escuridão que se abateu subitamente sobre a sociedade.
Jesus chama-nos desde há dois mil anos, e o Consolador convoca-nos para que não digamos amanhã...
Agora, meus filhos, é o instante de atearmos o incêndio que irá renovar as paisagens ermas do Planeta de Provas, a fim de que logo mais a Regeneração tome conta de todos os corações.
Não postergueis a oportunidade de amar.
Não revideis ofensa por ofensa, nem mágoa por mágoa ou dardo por dardo.
Convocados a expor a verdade, não vos transformeis em sicários de outras vidas.
Envolvei a verdade na lã do Cordeiro de Deus e atirai-a naqueles que dormem na ignorância ou que se encontram anestesiados pela ilusão, lembrando-vos de Jesus, afirmando: Eu venci o mundo.
Nem todos vencereis no mundo, mas se quiserdes vencereis, sim, o mundo das paixões perturbadoras e perversas...
Ide, pois, e amai!...
Esta é a hora de instaurardes na Terra a proposta de Jesus, construindo o mundo novo que já se encontra em vossos corações.
Muita paz, meus filhos!...
Com um abraço carinhoso, o servidor humílimo e paternal de sempre,

Bezerra.
Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, no encerramento da VI Conferência Estadual Espírita, em 25 de abril de 2004, no Palácio de Cristal, em Curitiba-PR.
                                                                                                                                                                                          28.12.2010                                     
      

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Rio Grande do Sul se retira da Ação contra piso dos professores!!!!!!!!!!

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a retirada do estado da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que questiona a legalidade da Lei do Piso Salarial Nacional dos Professores. Agora são quatro os estados que contestam a legalidade da Lei do Piso - Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina.  .A Confederação Nacional dos Trabalhadores em educação (CNTE) recebeu a notícia com satisfação e pede que o Supremo dê atenção à atitude do governador Tarso Genro. "Nós esperamos que os juízes do Supremo Tribunal julguem em breve a Adin e a avaliem com os olhos do governador Tarso Genro", ressaltou o presidente da entidade, Roberto Leão.A Lei do Piso foi sancionada pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva em 16 de julho de 2008. Na ocasião, o valor fixado para o vencimento dos professores de nível médio era de R$ 950 para uma jornada de no máximo 40 horas semanais, a ser pago a partir de janeiro de 2009. Este valor deveria ser corrigido ano a ano, sendo de R$ 1.312,85, a partir de janeiro de 2010. O piso não vem sendo cumprido na maioria dos estados e municípios. Muitos se baseiam na ação, impetrada, em 2008, por cinco estados. Os governadores de Santa Catarina; Rio Grande do Sul, na época governado pela tucana Ieda Crucis; Paraná; Mato Grosso do Sul e Ceará, questionaram a legalidade da lei. Na época a alegação era de que os estados não possuíam recursos para o pagamento, argumento negado pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. Segundo ele, o texto que criou o Fundo Nacional de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), em 2006, já previa a instituição de um piso nacional para os professores."Eu entendo que essa Adin não deva prosperar porque foi feita uma mudança na Constituição prevendo o piso. Então se foi feita uma emenda constitucional, não há porque julgar inconstitucional uma lei que regulamenta esse dispositivo", alega o ministro.Aguardando julgamento
Em dezembro de 2008, o STF julgou a ação e reconheceu a legalidade da Lei, com a limitação de dois dispositivos: o da composição do piso e o que trata da jornada fora de sala de aula. Estes dois pontos ficaram para ser julgados mais tarde. O atraso no julgamento preocupa os educadores. "O não julgamento da Ação tem causado um problema enorme que são as múltiplas interpretações que os gestores fazem da lei. Temos que acabar com isso, para que possamos construir uma educação pública de qualidade", afirma Leão, lembrando as diversas manifestações da entidade pelo julgamento da ação. Nos dias 16 e 17 de fevereiro, a nova executiva da CNTE, eleita no último dia 16 de janeiro, durante o 31º Congresso Nacional da CNTE, debaterá o plano de lutas de 2011 e o cumprimento do Piso Salarial é pauta. Para a CNTE, o julgamento da Ação em favor dos professores não será apenas uma vitória da CNTE ou dos professores. "Não são apenas os professores que saem vitoriosos com um julgamento favorável ao Piso. É toda a população brasileira que vai poder contar com professores trabalhando em condições melhores do que aquelas que eles trabalham hoje do ponto de vista salarial", concluiu Leão. (Fonte: Portal Vermelho, com CNTE
  
PUBLICAÇÕES DO DIAP.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

“ESCOLA, EDUCAÇÃO ,FAMÍLIA E SOCIEDADE”


A função educacional da Escola tem sido destacada por séculos de relacionamento positivo com a família e com a sociedade. Pais e mestres têm sido os pilares da formação intelectual e moral de gerações de homens probos e competentes que dignificaram e honraram a Espécie Humana, iluminando com a sua inteligência e honradez a política, as ciências e as artes. Nem é preciso citá-los; pois, quem ainda não se alienou e possui, pelo menos, uma dúzia de neurônios, têm na memória os nomes, os feitos, as imagens e os exemplos positivos e gratificantes daqueles grandes Homens. Lamentavelmente, eles se foram e pouco ou nenhum descendes deixaram.

Os próprios termos acima: “probos”, “competentes” “honradez” e “moral” ; viraram palavrões nestes tempos escuros e obscuros em que vivemos. A Escola tem tido um papel meritório e muito decisivo na formação da personalidade do futuro cidadão. Nos dias atuais, com as crescentes dificuldades da família, em que a mãe está tão ausente do lar quanto o pai; cada vez mais se recorre às instituições de ensino, não só para capacitarem mais cedo os seus filhos para competirem com os filhos dos outros pais (todos nós nos tornamos rivais dos outros e de nós mesmos); como, para aliviar os pais do cansativo cuidado que a criação do homem requer, principalmente em um País carente de tudo. Assim, desde cedo, a escola interfere no indivíduo, na família e na Sociedade.

Quando falo de Escola, Indivíduo, Família e Sociedade; não me refiro a termos abstratos, como normalmente costumam falar os demagogos eleitoreiros e nos fantasiosos livros de escritores “bonzinhos”, que querem agradar a todos. Quando falo neles, tenho em mente que Escola; é aquela onde estudam o meu filho e o seu; Indivíduo;sou eu, o vizinho,o colega o amigo, o parente, etc. A Família; é a minha, a sua e, a nossa. A Sociedade a que me refiro; é esta, na qual estamos inseridos, em que pesa nos ombros de cada um de nós, a responsabilidade dos acertos e fracassos (hoje, mais estes, que aqueles). Este esclarecimento é importante porque, geralmente, quando se usa termos genéricos, como: “povo”, “sociedade”, ”país”, “nação” e outros; tendemos a nos distanciar dos significados práticos e humanos, como se não pertencêssemos ao grupo de que falamos.

Agindo dessa forma, somos levados a deixar com os outros a resolução de problemas que são pertinentes a cada pessoa e a cada família. A Escola se insere neste contexto dialético. São os seus funcionários, professores, diretores e proprietários, como pessoas individualizadas num todo, que interferem na formação de cada um de seus alunos que são os nossos filhos; os futuros cidadãos, membros de uma Sociedade que exige deles honestidade, competência, caráter, etc., para sobreviver. Não é de se espantar que estejamos em franca falência social, cultural, econômica e mental. Todas essas pessoas do meio educacional, acima citados, influenciam nossos filhos, nossas famílias e toda a sociedade, com os seus pensamentos, idéias, virtudes, sentimentos e defeitos. Transmitem, incorporando ao educando, principalmente às crianças (as nossas), os modelos de comportamento que elas,mais tarde,irão atuar como cidadãos.

Ora, cada componente escolar e educacional recebeu e recebe, por sua vez, o condicionamento do meio em que viveu e vive. A Sociedade (nós, você e os outros) sempre foi condicionada e condicionante. A nossa época é assustadoramente pior, devido a proporção gigantesca de estímulos negativos condicionantes que nos atingem, a cada segundo de nossa vida. O condicionamento negativo se tornou tão comum que já não mais percebemos a nossa desestruturação física e mental. Acostumamo-nos, acomodamo-nos e não percebemos a nossa própria decrepitude. Há muito que estamos morrendo de carência ética, moral e espiritual. Sou tentado a crer que os nossos últimos representantes desses valores de firmeza, coragem diante do perigo, intrepidez e bravura; se foram com os nossos esquecidos “pracinhas” que lutaram e se imolaram pela liberdade, nos campos de batalha, na última guerra mundial. Muitas vezes somos levados a pensar e a agir, não de acordo com a nossa consciência e conhecimento; mas, tão somente, pela pressão de interesses políticos,financeiros e comerciais; bem como, induzidos por grupos majoritários, nem sempre sábios e competentes para tão importante missão.

A televisão tornou-se o maior e mais intensivo veículo de condicionamento negativo, notadamente das pessoas mais novas. Raros são os pais que se preocupam com o que os seus filhos andam fazendo,lendo, vendo na televisão, no cinema e na Internet. Pelo contrário, geralmente deixam-nos aos cuidados de terceiros, culturalmente inaptos e/ou dessa “babá eletrônica”, que horas a fio, recebem estímulos negativos de toda espécie, moldando suas frágeis personalidades para o comportamento nocivo a si e, aos demais. Para venderem seus produtos, os comerciantes e a TV utilizam-se de todos os meios publicitários condicionantes, afrontando e ridicularizando até os mais sagrados símbolos religiosos. Esses mercadores de ilusão só respeitam mesmo os símbolos militares, por medo da reação destes. Tudo indica que os comerciantes e a TV temem mais os generais que a Deus; por saberem que o Criador é mais benevolente e paciente com os seus filhos; mesmo com os perversos. Imaginemos o que gravam os cérebros dessas crianças que passam horas diante de um televisor; são condicionadas até na alimentação! Sabe-se que os produtos alimentícios propagados e condicionados pela TV não são os naturais; mas sim, o que é contrário à boa saúde. Uma infinidade de produtos coloridos, bonitos e apetitosos, apresentados por pessoas fortes e bonitas por fora, em flagrante desrespeito à Natureza. Substancialmente artificiais, eles enchem de fantasia as mentes, os olhos e os estômagos das nossas crianças (e de muitos adultos),cujas famílias irão,mais tarde, gastar dinheiro e preocupações com dentistas, médicos e psicólogos, no tratamento de suas insanidades físicas,deformidades corpóreas ,deformações morais e mentais. Sem falarmos de inúmeros outros tipos de condicionamentos não menos graves, que os exemplos da mídia nos impõem, como a agressividade, a violência e a sexualidade precoce e compulsiva. Voltemos à interferência da escola na formação da personalidade dos nossos filhos. Qualquer Instituição é composta de pessoas e são elas que irão direcionar as regras de conduta e a finalidade dessa Instituição; obedecendo, é claro, a proporção do poder hierárquico de cada um dos seus componentes. A Escola como qualquer organização, se comporta de acordo com as regras, exigências e pressões exercidas por seu contexto social. E a nossa sociedade não vem sendo modelo de candura e virtudes para ninguém; basta que acompanhemos os noticiários jornalísticos de cada dia. Agora, vamos imaginar uma família que seja mais conscientizada, mentalmente evoluída e culturalmente aprimorada que matricule o seu filho na época adequada à sua socialização e culturação. É nesse estágio que vamos nos defrontar com um dos maiores problemas educacional, negligenciado pela maioria dos pais e educadores. Uma criança desse tipo, que esteja recebendo de seus pais uma educação moral, cívica, religiosa e alimentar ( o que é raríssimo,hoje em dia) ; encontrará enorme resistência contra todos esses seus princípios familiares positivos; não só por parte dos seus colegas,professores,supervisores e diretores; bem como, dos outros pais que, por ignorância ou desleixo não cultivaram positivamente as mentes de seus filhos. Ao contrário das épocas passadas em que o colégio moldava, positivamente, a personalidade infantil; em nossos dias ele vem se tornando, paradoxalmente, em iniciador e modelador dos maus costumes. Isto porque, é no convívio escolar que a criança é levada a se comportar, sob pena de sofrer represália, de acordo com a maioria dos outros alunos que são criados por seus pais num autêntico ambiente de permissividade, onde tudo pode e nada deve ser proibido; para não “causar danos” a esses futuros agressores sociais. Daí é que surgem muitos delinqüentes que, gerados na falsa psicologia da liberalidade ou libertinagem, não têm limites nos seus comportamentos públicos. Procure observar como se comportam nos pátios, recreio,calçadas, nas saídas escolares e até dentro das salas de aula ! Veja a algazarra que fazem durante as aulas; como se vestem; o desacato, ameaças e agressões a professores; palavrões, pichações, depredações, etc. Se olharmos os alunos da maioria das escolas públicas; veremos que estamos fritos em gordura “trans”! Quem mora perto de alguma e tiver, ao menos, uma dúzia de neurônios; entenderá o que estamos dizendo! Note os danos que causam ao meio ambiente! Infelizmente, é no início da escolaridade e no que deveria ser a sua socialização, que a criança tomará conhecimento e se familiarizará com os palavrões, gírias, palavras chulas, desobediência, vícios, desrespeito a tudo e a todos e com os alimentos artificiais. Por mais que pais cuidadosos e responsáveis queiram evitar que seus filhos sigam os maus exemplos dos colegas de escola; não conseguirão livrá-los das conseqüências que sofrerão no futuro; fruto da criação e imaturidade dos outros pais. Na escola, os filhos imaturos dos pais imaturos, repetem as palavras, cenas e exemplos que vêem na TV, nas revistas, vídeos e palavreados que escutam nas suas famílias desestruturadas. Então, desde cedo, “brincarão” de esmurrar, chutar os outros, gritar, “ficar”, beijar e “sexuar”; sob os olhares modernistas, permissivos e libertinos de todos, inclusive de seus pais; que até aplaudirão, com orgulho, os “ensaios” precoces de erotismo,vulgaridade e agressividade de seus “rebentos”(palavra bem apropriada para defini-los; pois, que irão,de fato, se arrebentar e arrebentar os outros ( vide o comportamento dos “moykanos” ao saírem de um jogo de futebol ou em algum baile “fank”, “fenk”, “fink”, “fonk” ou “funk” !). Quanto aos meninos; seus pais se orgulharão das “estripulias” que farão com as filhas dos outros. Enquanto isso, os pais destas filhas, vítimas desses coleguinhas erotizados precocemente pela TV,filmes,vídeos,internet,etc., e por suas famílias “liberais”; também irão sofrer, quando suas filhinhas, também erotizadas precocemente pelos colegas e por estes pais, chegarem à adolescência, cheias de problemas psicossomáticos. Um pequeno exemplo disso serve para enfatizar o dilema : na clínica, tratei de uma dessas meninas, com 16 anos, trazidas por seus pais, pelos motivos de tentativas de aborto e de suicídio;depressão, distúrbios psicossomáticos e outros. Este é um caso clássico que ocorre, aos milhares, em nosso País, decorrentes dos fatores que procuramos mostrar neste Trabalho. Enquanto esses pais se orgulham da “macheza” de seus filhinhos; os pais das menininhas, vítimas dessa “macheza”, sofrerão com elas as conseqüências mentais e materiais do erotismo precoce. As crianças que levam merenda natural(frutas,sucos,etc.) são discriminadas e ridicularizadas pelos demais,recebendo críticas dos colegas; o que leva os seus pais a cederem, diante das pressões, fruto da inconsciência dos demais. Sabemos que não existem culpados. Nem os professores,nem o colégio e nem mesmo os pais imaturos; já que não desejam,conscientemente, a ruína de seus alunos e filhos. Pelo contrário, todos eles almejam a saúde e o aprimoramento psicofísico das crianças. O que acontece é que todos pressionam entre si; nesta Sociedade exteriorizada e artificialmente competitiva. Não se trata de uma competição sadia; como por exemplo, para ver quem descobre um antídoto contra a fome ou um remédio que sane a violência de seus filhos; ou mesmo a cura do câncer! Mas; o que se vê é uma competição doentia e perversa que se contenta em disputas vazias, ocas, nulas e inconseqüentes como: quem tem mais e melhores casas e carros; quem é mais bonitinho ou bonitinha; quem se veste melhor e mais caro;quem tem o “topete” mais alto e espetado; quem tem o “traseiro” e a “dianteira” mais recheada; quem manda mais em que, e em quem; enfim, é o reinado da Iniqüidade ! Todos são algozes e vítimas de si mesmo. Muitos pais, por comodidade e ignorância preferem colocar nas merendeiras dos seus filhos alimentos já prontos, empacotados, enlatados e engarrafados, pois requer menos trabalho e raciocínio que os alimentos naturais e caseiros. Muitos deles são vítimas da falta de conhecimento dos valores nutritivos dos mesmos e sobre a própria saúde física e mental; prejudicando os seus filhos e a si mesmos. É, justamente isto que a direção dos colégios argumenta, quando é questionada por algum pai mais conscientizado. A Escola sofre pressão dos pais inconseqüentes (a maioria) e alienados quanto à educação e alimentação dos seus filhos. Creio que todos os professores e diretores de colégio gostariam de lidar com crianças física e mentalmente sadias, educadas e nutridas, filhos de pais conscientes e maduros, que dariam menos trabalho, prejuízos e responsabilidade. Sabemos que isso está cada vez mais difícil de encontrarmos, pois a família, com poucas exceções, perdeu a capacidade de criar e modelar homens éticos, cidadãos responsáveis e honrados. O colégio, assim como os políticos,governantes, autoridades, pais ou qualquer Instituição, representa o contexto social; o momento histórico em que se situam. Nós os merecemos, por pior que sejam e se comportem; assim, como eles nos merecem. Não estou insinuando que devemos ficar omissos, acomodados ou subservientes diante das exigências ou pressões descabidas de outrem! Uma só pessoa que reage contra a injustiça e a insanidade dos demais; valerá muito mais que milhões de acovardados,ignorantes,acomodados e omissos.


Psicólogo-Clínico pela Universidade Católica de Minas Gerais;

Estudante de Direito da Faculdade de Direito Estácio de Sá-BH;

Escritor e Pesquisador nas áreas da Psicobiologia e do Direito.


Carleial. Bernardino Mendonça.