Sugestões de Projetos e atividades para Educação Infantil.

Textos e artigos relacionados à Educação.

Trabalhos em artesanato como: Tricô pintura em tecido e tela.


...

...

quinta-feira, 30 de junho de 2011





COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO PROFESSOR REFLEXIVO.



A formação do professor no que diz respeito a sua função, deveria proporcionar condições para estimular o “querer mais”, a busca para aperfeiçoar o seu trabalho na perspectiva de mudanças significativas. Pois uma boa formação capacita o professor para ser reflexivo, frente às situações que precisam enfrentar em sua vida profissional.
O professor deve ser capaz de preparar o aluno para se relacionar com as incertezas, sendo mais pesquisador do que transmissor, comprometer-se com o futuro no presente da sala de aula.

É preciso que os professores também se sintam “aprendentes” para poder continuar a sua missão de educar. Para se tornarem inesquecíveis devem sentir-se “gente” sujeitos em transformação, pois somente assim poderão pensar nos outros dessa forma. (RAMOS, 2006, p.15).


Por isso o professor precisa desenvolver habilidades como saber trabalhar em grupo ter uma boa comunicação, saber falar, saber escrever, gostar de ler e ler muito. Um dos fatores primordiais na formação do professor, nunca perder a capacidade de aprender, é preciso que sejamos criativos, flexíveis e autônomos, porque na prática sempre nos deparamos com elementos perturbadores, resistências e bloqueios.
A formação contínua deve estar centrada na escola e fazer parte do projeto político pedagógico, pois o mesmo é a própria organização da escola, do trabalho pedagógico na organização da mesma. Assim a formação continua dos profissionais, da escola compromissada com a construção do Projeto Político Pedagógico não deve limitar-se aos conteúdos curriculares, mas se estender a discussão da escola com um todo em suas relações com a sociedade.
Veiga e Carvalho (1994, p.50) afirmam que, “O grande desafio da escola ao construir sua autonomia, deixando de lado seu papel de mera repetidora de programas de treinamentos é ousar assumir o papel predominante na formação dos profissionais”.
Para alternar a qualidade do trabalho pedagógico torna-se necessário que a escola reformule seu tempo, estabelecendo períodos de estudo e reflexão da equipe de educadores, fortalecendo a escola como instância de educação continua, os educadores precisam de tempo para aprofundar seus estudos e realizarem suas pesquisas.
Um professor inesquecível tem que ser antes de tudo, um emociona dor seja por conta própria, seja recorrendo a terceiros no sentido de proceder as aulas ou intercalá-las com recursos de emoção coso queira tornar, realmente, sua aula vibrante atraente e descontraída, ele é, sobretudo o que mora na alma do aluno, deve ser aquele que fica na sala mesmo após ir embora dela.
È aquele que desperta a criatividade, a curiosidade e o gosto pelo saber, o respeito é aquele que orienta as tentativas cognitivas que estão iniciando, tendo uma boa comunicação com os alunos dando-lhes liberdade e autonomia, aprimorando o educando como pessoa humana.
Segundo Ramos (2006, p.22),

Ser um professor inesquecível é ter a habilidade de cultivar os sonhos de seus alunos, despertando o desejo de estar e ser a cada dia melhor em todos os aspectos, sensibilizando-os do quanto são capazes e podem ser ainda mais.


Um dos mais importantes princípios de quem ensina e trabalha com crianças é a tolerância, a mesma começa na aceitação, se reservas, das diferenças humanas, expressas na cor, no cheiro, no falar e no jeito de ser de cada educando.
Mais do que nunca, o educador não pode ser considerado somente como aquele que da aula. Sua ação não se esgota nos limites de quatro paredes da sala de aula e, nela, não se apresenta somente como representante do oficio escolhido, mas como a pessoa que é composta de saberes, experiências, duvida aspirações, conflitos não podendo separar o educador da pessoa.
O professor do novo milênio deve ter em mente que o profissional de ensino não é mais pedestal, dono da verdade, representante de todos os saberes, capaz de dar respostas para tudo o mesmo precisa ser sujeito da construção dos seus conhecimentos e para isso tem que estar preparado para analisar o próprio trabalho realizado, de modo que possa atuar incessantemente na direção de uma educação de qualidade refletindo sempre o seu fazer pedagógico.
Com certeza, papel do professor é decisivo na formação pessoal e profissional das novas gerações, neste cenário do novo milênio é preciso que aceitemos a educação como algo transformador, onde o papel do educador é aprimorar o educando com pessoa humana nosso grande desafio é saber reconhecer a importância que o trabalho docente representa para a história da humanidade.
Professora:Vera Freire Palma
COMO TORNAR-SE UM PROFESSOR INESQUECÍVEL
Paulo Ramos; Magda Maria Ramos.2006

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Brincadeiras lúdicas


O professor de Educação Infantil deve procurar entender que a criança apreende através do Lúdico e que os espaços devem ser ocupados e apropriados ainda na primeira infância.
Dessa forma as crianças poderão vislumbrar um espaço lúdico e de fantasias, no qual a brincadeira seja o maior e o principal motivo para que continuem na escola.
Partimos do princípio de que todos os envolvidos com os projetos destinados às crianças de 4 a 6 anos sabem da importância do lúdico para esta faixa etária e, portanto, elaboramos esquemas muito tranqüilos e perfeitamente exeqüíveis de atividades para esta faixa etária. Indicamos também algumas obras musicais que são referência para o trabalho na educação infantil.
Precisamos destacar a importância da observação constante das crianças, a fim de que os educadores/ monitores aproveitem as oportunidades e criem intervenções, para “tirar” com o grupo novas regras, para corrigir as estratégias anteriormente estabelecidas...
Lembramos também que as faixas etárias indicadas são apenas sugestões, devendo ser tomadas como referência para o planejamento das brincadeiras. Aqui, mais uma vez, sugerimos que você observe as crianças, no sentido de perceber como cada uma delas se envolve ou não nas brincadeiras e como elas se relacionam com as regras e com os outros colegas.

Mediar a relação que as crianças estabelecem entre si talvez seja a principal ação do educador nesta faixa etária. Como assim? O educador auxilia o processo de desenvolvimento das capacidades infantis, tais como: tomadas de decisões, construção e apreensão de regras, cooperação, diálogo, solidariedade etc. Assim, o educador favorece o desenvolvimento de sentimentos de justiça e atitudes de cuidado que a criança passa a ter consigo mesma e com as outras pessoas. Portanto, o educador participa da brincadeira, além de organizá-la, observá-la e avaliá-la. Para isso, o processo de observação das crianças durante a brincadeira torna-se fundamental.
O educador, quando considera a criança um ser ativo em seu processo de desenvolvimento, faz a mediação entre ela e seu meio, podendo utilizar recursos como: materiais, brinquedos, atividades plásticas etc. Mas atenção: é fundamental o modo pelo qual o educador se relaciona com as crianças.
O educador deve interagir com a criança de modo a ser um facilitador, interventor, problematizador e propositor de novas idéias, espaços e brincadeiras, levando em conta as reações das mesmas e as encorajando em seus modos de brincar e de compreender o mundo. Assim, o educador e as crianças, juntos, poderão transformar e descobrir diferentes modos de se relacionar.
Quando o educador compartilha uma brincadeira ou jogo com a criança, ele pode ajudá-la a enfrentar eventuais insucessos, estimular seu raciocínio, sua criatividade, reflexão, autonomia etc. Isto quer dizer: quando o educador tem intenção de brincar junto com a criança, pode criar diversas situações que estimulem o seu desenvolvimento, sua inteligência e afetividade.
Quando a criança brinca com outra criança age de maneira cooperativa, faz imitações, disputa objetos, briga, vivencia todos os espaços e experiências? Se ela faz tudo isto, você está no caminho certo.
O tipo de interação entre as crianças que propomos possibilita que cada criança compartilhe com outras crianças suas dúvidas, expresse suas emoções e fale de suas descobertas.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

“Educação Infantil”. Fase mais importante “na formação da criança.”.



A mente das crianças transforma-se de acordo com a mente dos adultos que as educam e criam.

Os adolescentes de hoje são criticados em diversos aspectos, mas essas criticas não deveriam ser voltadas apenas a eles, pois a responsabilidade disso encontra-se também nos adultos os quais são responsáveis por orientar e educar estes jovens.
Nossas crianças precisam viver a infância, em ambientes enriquecedores que favoreçam o brincar, o descobrir. Aos poucos durante toda a vida, na infância de forma muito especial, o ser humana passa por grandes transformações para podermos compreender as necessidades da criança, estimulá-la e, acima de tudo contribuir para que desenvolva harmonicamente, guardando para a vida adulta uma imagem positiva de si mesmo. O professor tem um papel muito importante na formação dessa criança, ele deve ter habilidade de cultivar os sonhos de seus alunos, despertando o desejo de estar e ser a cada dia melhor em todos os aspectos sensibilizando-os do quanto são capazes e podem ser ainda mais. Vera Freire Palma.

domingo, 5 de junho de 2011

Dia Mundial do Meio Ambiente.

Ensinar sobre o meio ambiente é muito mais que transmitir teorias, dados, conceitos e técnicas é transformar tudo isso em conhecimento vivo. Não é tocar a consciência do indivíduo para a importância de preservar o meio ambiente, mas é transformá-lo em um sujeito que reflete, preserva e por sua vez transforma, porque ele se sente parte integrante e indissociável do meio, é isto que faz a diferença.
Sendo a educação um dos melhores caminhos para a formação de pessoas preocupadas com o meio ambiente, com a preservação da natureza e o cuidado que devemos ter com nosso planeta.
O convívio escolar é um fator determinante para a aprendizagem de valores e atitudes, por considerar a escola como um dos ambientes mais imediatos do aluno, a compreensão das questões ambientais e as atitudes em relação a elas se darão a partir do cotidiano de vida escolar de cada criança.