Sugestões de Projetos e atividades para Educação Infantil.

Textos e artigos relacionados à Educação.

Trabalhos em artesanato como: Tricô pintura em tecido e tela.


...

...

sábado, 18 de maio de 2013

A lição!!!Escola e vida.


Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar.
 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
Cora Coralina



quinta-feira, 9 de maio de 2013

Com esse lindo poema quero desejar a todas as mães felicidades no próximo domingo é nosso dia mas como eu, acho que muitas acreditam que dia das mães é sempre todo dia.






 Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível.



Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu
sem tempestades, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas,
relacionamentos sem decepções.
 Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança
nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não
é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os
desafios, incompreensões e períodos de crise.
 Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da
própria história.
 É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um
oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da
vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si
mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma
crítica mesmo que injusta. É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos
poéticos com os amigos, mesmo que eles o magoem.

Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de
cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer
“me perdoe”. É ter sensibilidade para expressa “eu preciso de você”. É ter
capacidade de dizer “eu te amo”.

Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser
feliz...
Que nas suas primaveras você seja amante da alegria
Que nos seus invernos você seja amigo da sabedoria.
E quando você errar o caminho, recomece tudo de novo.
Pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida.
E descobrirá que...
Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a
tolerância Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a
serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as
janelas da inteligência.

JAMAIS DESISTA DE SI MESMO.
JAMAIS DESISTA DAS PESSOAS QUE VOCÊ
AMA.
JAMAIS DESISTA DE SER FELIZ.
POIS A VIDA
É UM ESPETÁCULO IMPERDÍVEL.
E VOCÊ É UM SER HUMANO ESPECIAL.

Fernando Pessoa


domingo, 28 de abril de 2013

Hoje é o dia da Educação!!!

O que é Educação



  É o conjunto de técnicas e conhecimentos necessários para a transmissão do saber e dos valores essenciais à sociedade.
A boa educação é a base para uma nação evoluída e justa.Isso quer dizer que,se as pessoas têm oportunidade de acesso a uma educação de qualidade,aumenta as chances de elas terem uma vida digna e de exercerem a cidadania de forma plena,colocando em pratica tanto seus direitos como suas obrigações.
 
Segundo o Novo Dicionário da Língua Portuguesa, de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, educação é: "processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual ou moral da criança e do ser humano em geral, visando à sua melhor integração individual e social". O processo de educação começa com a família, quando os pais ensinam a seus filhos o que julgam ser certo, como devem se comportar, a respeitar as outras pessoas. Ou seja, é o início da formação da criança, que aos poucos vai sendo preparada para a vida individual e em sociedade.
Num segundo momento, entra em cena a escola. Tem início a etapa da instrução da criança, onde ela vai adquirir conhecimentos referentes a áreas do saber específicas: Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História, entre outras.
Mas o papel da escola na formação do indivíduo não fica restrito a esse tipo de informação. De certa forma, a escola vai dar continuidade ao processo que foi iniciado pela família, educando a criança e o adolescente também para a vida, através da disciplina, das responsabilidades, do estímulo ao exercício da cidadania.
E lembre-se: a boa educação é a base de uma nação consciente de seus direitos e deveres, que é capaz de construir o melhor para si e seu país, contribuindo para uma sociedade mais justa e com alta qualidade de vida.

Professora:Vera Freire Palma


sábado, 20 de abril de 2013

A importância da brincadeira no processo de aprendizagem e socialização



Para definir a brincadeira infantil, ressaltamos a importância do brincar para o desenvolvimento integral do ser humano nos aspectos físico, social, cultural, afetivo, emocional e cognitivo.
 Para tanto, se faz necessário conscientizar os pais, educadores e sociedade em geral sobre à ludicídade que deve estar sendo vivenciada na infância, ou seja, de que o brincar faz parte de uma aprendizagem prazerosa não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem.
Neste contexto, o brincar na educação infantil proporciona a criança estabelecer regras constituídas por si e em grupo, contribuindo na integração do indivíduo na sociedade.
 Deste modo, à criança estará resolvendo conflitos e hipóteses de conhecimento e, ao mesmo tempo, desenvolvendo a capacidade de compreender pontos de vista diferentes, de fazer-se entender e de demonstrar sua opinião em relação aos outros.
 É importante perceber e incentivar a capacidade criadora das crianças, pois esta se constitui numa das formas de relacionamento e recriação do mundo, na
 É brincando também que a criança aprende a respeitar regras, a ampliar o seu relacionamento social e a respeitar a si mesmo e ao outro. 
Por meio da ludicidade a criança começa a expressar-se com maior facilidade, ouvir, respeitar e discordar de opiniões, exercendo sua liderança, e sendo liderados e compartilhando sua alegria de brincar.
O desenvolvimento da criança e seu consequente aprendizado ocorrem quando participa ativamente, seja discutindo as regras do jogo, seja propondo soluções para resolvê-los. É de extrema importância que o professor também participe e que proponha desafios em busca de uma solução e de participação coletiva, o papel do educador neste caso será de incentivador da atividade. Assim, a ludicidade tem conquistado um espaço na educação infantil. O brinquedo é a essência da infância e permite um trabalho pedagógico que possibilita a produção de conhecimento da criança. Ela estabelece com o brinquedo uma relação natural e consegue extravasar suas angústias e entusiasmos, suas alegrias e tristezas, suas agressividades e passividades.
 Assim, a ludicidade tem conquistado um espaço na educação infantil. O brinquedo é a essência da infância e permite um trabalho pedagógico que possibilita a produção de conhecimento da criança. 
Ela estabelece com o brinquedo uma relação natural e consegue extravasar suas angústias e entusiasmos, suas alegrias e tristezas, suas agressividades e passividades
A intervenção do professor é necessária e conveniente no processo de ensino-aprendizagem, além da interação social, ser indispensável para o desenvolvimento do conhecimento.
Piaget (1976) diz que a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança. Estas não são apenas uma forma de desafogo ou entretenimento para gastar energia das crianças, mas meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual. 

terça-feira, 5 de março de 2013

“INCLUSÃO É TROCA” Todos saem ganhando.






No processo de inclusão professores e alunos aprendem uma lição que a vida dificilmente ensina que é respeitar as diferenças sendo este o primeiro passo para alcançar o sucesso que todos nós esperamos. Segundo Mendes (2002, p.64),
A inclusão estabelece que as diferenças humanas são normais, mas do mesmo tempo reconhece que a escola atual tem provocado ou acentuado desigualdades à existência de diferenças de origem pessoal, social, cultural e política, e é nesse sentido que ela prega a necessidade de reestruturação do sistema educacional para prover de uma educação de qualidade para todas as crianças.

Para que a inclusão chegue a alcançar o sucesso que todos esperamos será preciso que ela seja transformadora exigindo dos dirigentes o apoio previsto em lei.
No momento atual sabemos que as escolas encontram serias dificuldades para trabalhar com portadores de necessidades especiais seja por falta de professores competentes preparados para receber estas crianças ou por falta de uma adaptação física apropriada que venha suprir as necessidades desses alunos.
Pessoalmente vejo a inclusão como um fator positivo para crianças com necessidades especiais, pois o convívio e a interação ajudam as mesmas a desenvolverem-se e aprenderem mais, também a tornarem-se mais conscientes a respeito das necessidades dos outros, desenvolvendo assim uma postura crítica contra preconceitos a pessoas com deficiência.
A ideia de inclusão se fundamenta em uma filosofia que reconhece e aceita a diversidade na vida em sociedade. Isto significa garantia de acesso de todos a todas as oportunidades, independentemente das peculiaridades de cada indivíduo ou grupo social.
(ARANHA, 2001, p.2)

O professor tem um papel importantíssimo neste contexto, precisando aperfeiçoar sua prática pedagógica, deve ter em mente sempre a responsabilidade social que o cargo lhe confere, e participar decisivamente do esforço de inclusão.
A criança portadora de necessidades especiais não deve ser educada somente em salas de educação especial porque assim estaremos negando-lhes a participarem de trocas ricas e estimulantes de socialização que aconteça na sala de aula regular, onde o desenvolvimento cognitivo, emocional e social dessa criança aumenta só trazendo benefícios a todos envolvidos neste processo.
Hoje vemos que para lidar com a inclusão só boa vontade não basta, é necessário que envolva a família, que a escola aperfeiçoe sua prática pedagógica desenvolvendo bons projetos pedagógicos, valorizando a cultura, a história e as experiências dos alunos, as atividades devem ser selecionadas e planejadas para que todos aprendam.
Vejo a inclusão como um fator positivo para a educação, por proporcionar à troca de experiências, valores, dando às crianças a oportunidade de melhorarem seu comportamento devido à interação com outras crianças.
Segundo Claudia Werneck (1997), “Incluir não é fator, mas troca, todos saem ganhando nessa troca.”
Educar indivíduos em segregadas salas de educação especial significa negar-lhes o acesso á formas ricas e estimulantes de socialização e aprendizagem que somente acontecem na sala de regular devido à diversidade presente neste ambiente.

Vera Freire Palma